Fome real

17 de Jan de 2018

Há alguns meses, fomos jantar em casa de um casal de amigos. Ela é professora do ensino fundamental; leciona em uma escola pública, em uma das regiões mais carentes de Curitiba.

Durante a conversa, ela nos contou que muitas das crianças sonhavam que um dia poderiam comer as coisas lindas que viam na televisão — doces, sanduíches, frangos, biscoitos, refrigerantes, …

Como tantas coisas na vida, e como diz Pazzianoto em seu texto, a fome tem gradações. A fome faz parte do cotidiano destas crianças, destas famílias. Elas não estão morrendo de fome; estão condenadas a morrer enquanto sobrevivem.

https://veja.abril.com.br/blog/augusto-nunes/geografia-da-fome/

Somente assinantes podem enviar comentários.

Assine agora!

Já tem uma assinatura? Entre!

LC, o Quartelmestre

Também conhecido como Luiz Cláudio Silveira Duarte. Escritor, poeta, pesquisador, jogador, polímata, filômata... está bom para começar.