A chave

28 de Jul de 2022

Eu tenho uma chave
De fios sedosos
No escuro, me deito
Roçando meus dedos
Lembrando, sentindo
Abrindo o Sonhar.

Há sonhos que trazem
Amor e beleza
Alegram a noite
Adoçam meu sono
Cantigas de mar
Embalam as ondas
Que levam minh’alma.

Há sonhos que guardam
Anseios febris
Os medos que trago
Ocultos, fechados
Que fogem à noite
Inspiram temor
Que vai dissipar
A luz da manhã.

Já outros escondem
Os olhos gentis
Das belas que amei
Que amo e amarei
– Mas delas, me calo!
O amante que fala
Põe tudo a perder.

São sonhos, são meus
Sou eu sem pudor
Com medos e amor
Entregue ao Sonhar.

Somente assinantes podem enviar comentários.

Assine agora!

Já tem uma assinatura? Entre!

LC, o Quartelmestre

Também conhecido como Luiz Cláudio Silveira Duarte. Escritor, poeta, pesquisador, jogador, polímata, filômata... está bom para começar.