featured file

Meu mar

6 de Dez de 2022

Caminho e digo “meu mar”
Não por ser meu, pois não é
Como ela nunca foi
Mas eu a chamo de minha
Mesmo sem me pertencer
Em suas ondas navego
Em suas águas mergulho
Em suas costas me deito
“Minha” digo, me deleito
Sorvo sonhos, lembro céus
Refletidos num olhar
Nunca minha, sempre minha
E me perco em amar

Somente assinantes podem enviar comentários.

Assine agora!

Já tem uma assinatura? Entre!

LC, o Quartelmestre

Também conhecido como Luiz Cláudio Silveira Duarte. Escritor, poeta, pesquisador, jogador, polímata, filômata... está bom para começar.