A Paixão

7 de Abr de 2023

Há fardos que pesam
Fatigam meus braços
Mas estes são leves
Depois do esforço
Têm fácil repouso

Os pesos que levo
Carrego na alma
Não posso pousar
Parar, descansar

Por vezes preciso
Sentar com amigo
As faces lavar
Falar, prantear

Abraços ajudam
E beijos também
Reduzem a carga
Com gestos sutis
E olhos gentis

Nem sempre consigo
A voz encontrar
Nem tudo que guardo
Sei como expressar

Então vou pro mar
Me jogo nas ondas
Acolhem meu corpo
Recebem meu choro
Escutam meus gritos
Que fogem da voz

O mar me abraça
Sustenta, levanta
Não julga nem diz
Que devo fazer
Pensar ou sentir

Entrego-me às águas
Me deixo levar
Pois levo comigo
O meu próprio mar.

Somente assinantes podem enviar comentários.

Assine agora!

Já tem uma assinatura? Entre!

LC, o Quartelmestre

Também conhecido como Luiz Cláudio Silveira Duarte. Escritor, poeta, pesquisador, jogador, polímata, filômata... está bom para começar.