Matinal

11 de Abr de 2023

Os olhos fechados
Ainda dormindo
Mas quase acordado
Estendo a mão
Encontro calor
Da pele macia

Mas ela inda dorme
O toque me acorda
Eu tomo cuidado
Não vou despertar
Sem antes limpar
As marcas do sono

Levanto-me lesto
Lançando o olhar
O Sol não raiou
Invejo o luar
Que pode tocar
Seu sono abraçar
Com luz enfeitar
O leve sorriso
– Está a sonhar?

Me quedo calado
Em sonho encantado
Mas logo me agito
A mente dispara
Em sonho excitado
Me cuido, preparo
O corpo atrasado
Em sonho já estou
Fremente ao seu lado

Mas volto silente
Começo por beijos
Suaves e leves
Seu braço se move
Me abre caminho
A língua desenha
Palavras de ardor
Carícias nos seios
Passeio meus dedos
Desperta, ó bela!

É hora do amor!

Somente assinantes podem enviar comentários.

Assine agora!

Já tem uma assinatura? Entre!

LC, o Quartelmestre

Também conhecido como Luiz Cláudio Silveira Duarte. Escritor, poeta, pesquisador, jogador, polímata, filômata... está bom para começar.