O beijo

O mais profundo de todos os beijos.

6 de Jan de 2024

com olhos fechados
os lábios abertos
ela quer sentir
o cheiro, o sabor
a língua me toca
num leve carinho
recolhe e volta
um rápido beijo
se torna em sorriso
agora os olhos
se abrem, brilhando
(sorrindo também)
primeiro contemplam
o novo brinquedo
mas logo se erguem
e num desafio
encontram os meus
a boca me acolhe
bem úmida e quente
eu sinto o aperto
macio dos lábios
deixando batom
e logo voltando
a língua se move
explora e preme
eu não me contenho
seguro cabelos
não puxo, mas tomo
prazer me consome
os olhos brilhantes
me chamam, convidam
e me desafiam
queria manter
guardar o prazer
mas já não consigo
e eu me deleito
e eu me desfaço
e eu me acabo

Somente assinantes podem enviar comentários.

Assine agora!

Já tem uma assinatura? Entre!

LC, o Quartelmestre

Também conhecido como Luiz Cláudio Silveira Duarte. Escritor, poeta, pesquisador, jogador, polímata, filômata... está bom para começar.