Semeadura

Aprendo e semeio o que aprendi.

18 de Jan de 2024

Lágrimas, sangue, suor
Com eles comprei lições
Altos preços a pagar
Pois inda mais valioso
É o muito que aprendi
Que vivi e que senti
Eu me ponho a semear
Em desertos de areia
Ou grandes campos de neve
Não me toca amanhar
Nem arar ou irrigar
As sementes são lançadas
Cabe a elas germinar
E assim frutificar
Mas são elas; sigo leve
Aprendendo a me amar

Somente assinantes podem enviar comentários.

Assine agora!

Já tem uma assinatura? Entre!

LC, o Quartelmestre

Também conhecido como Luiz Cláudio Silveira Duarte. Escritor, poeta, pesquisador, jogador, polímata, filômata... está bom para começar.