A ninfa e seu véu

Em meio à mata, um encontro inesperado.

21 de Jan de 2024

A ninfa singela
Com águas vestida
Marcou esta alma
Que andava perdida
Serena e calma
Tão úmida, bela

Sou afortunado
Andando na mata
Tornei-me a presa
Na fria cascata
Por rara beleza
Fui abençoado

Somente assinantes podem enviar comentários.

Assine agora!

Já tem uma assinatura? Entre!

LC, o Quartelmestre

Também conhecido como Luiz Cláudio Silveira Duarte. Escritor, poeta, pesquisador, jogador, polímata, filômata... está bom para começar.