Amores e rancores

Cotidiano e paixão não são incompatíveis.

25 de Jan de 2024

entre dores e amores
a vida passa, ligeira
lembramos dos ardores
que vivemos sem canseira
desejamos os calores
de uma época festeira
inventamos desamores
e criamos a sujeira
que floresce nos rancores
reforçamos a cegueira
invejamos os fulgores
de uma paixão primeira
não queremos os rigores
desta lida tão caseira

– basta!

quero flores, não humores
quero fogo, não coleira
esqueci os meus temores
não serei minha coveira
não dou nem peço favores
sou eu mesma, toda inteira
se me junto a pecadores
se me entrego à doideira
vou criando meus valores
pois eu sou uma guerreira
no lugar dos vencedores

Somente assinantes podem enviar comentários.

Assine agora!

Já tem uma assinatura? Entre!

LC, o Quartelmestre

Também conhecido como Luiz Cláudio Silveira Duarte. Escritor, poeta, pesquisador, jogador, polímata, filômata... está bom para começar.