De costas para o nascente

https://quartelmestre.com/poesia/de-costas-para-o-nascente/

Quase sempre, quando saio a caminhar pela praia, oriento meus primeiros passos para a direção do nascente. Vou sorvendo as luzes e os ares da alvorada marinha. Muitas vezes, paro, fotografo, filmo, mando mensagens para pessoas queridas, querendo compartilhar um pouco da maravilha onde mergulho.

Quando volto, tenho o Sol atrás de mim e minha sombra à frente. Repiso minhas pegadas e sinto uma curiosa inversão: como se somente então estivesse deixando minha casa para trás e rumando a outro lugar. Os passos não me pesam, mas o espírito leva um pouco da maravilha de hoje, semente de saudade.

    Viro-me, caminho
    Piso minha sombra, deixo
    Meu lar para trás


2024 Luiz Cláudio Silveira Duarte https://quartelmestre.com
O conteúdo destas páginas pode ser utilizado conforme os termos da licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.