Esperança

A Esperança que me acompanha.

https://quartelmestre.com/poesia/esperanca/

    já tive muitas esperanças
    algumas simples, corriqueiras
    outras graves, sorrateiras
    esperava que ainda me amasse
    ou mesmo apenas me falasse
    os nadas vazios que enchem o coração
    desejava que o rancor acabasse
    talvez o autismo passasse
    em frios sonhos matinais
    ah! se quem deve pagasse
    quem sabe eu quitasse
    para outro jugo procurar
    e se a bela me beijasse
    sorrindo me abraçasse
    em doces, alegres safadezas
    esperanças, todas elas
    e por isso preciosas
    mas agora aprendi
    a mais bela não precisa
    objetos ou desejos
    é apenas Esperança
    prima-irmã da Confiança
    dou meus braços a elas
    vou seguindo feliz


2024 Luiz Cláudio Silveira Duarte https://quartelmestre.com
O conteúdo destas páginas pode ser utilizado conforme os termos da licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.