Heráclito 2

Ninguém entra duas vezes no mesmo rio, ninguém ama duas vezes da mesma maneira.

https://quartelmestre.com/poesia/heraclito-2/

    nada se repete
    o rio mudou
    também eu mudei
    seguimos mudando
    mas nunca perdendo
    memórias de amor
    e nem as de dor
    pois são os esteios
    da torre que ergo
    querendo a estrela
    distante, não nego
    mas vale o esforço
    em busca da bela
    sem nunca alcançar
    é esta a demanda
    que move o errante
    na busca eu mudo
    até me transmuto
    de baixo metal
    em prata brilhante
    como a luz da Lua
    que luz dentro dela
    não sou mais o mesmo
    (decerto, nem ela)
    mudando, me faço
    perene amante


2024 Luiz Cláudio Silveira Duarte https://quartelmestre.com
O conteúdo destas páginas pode ser utilizado conforme os termos da licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.