Marulho

Os sons que vão guardados no peito.

https://quartelmestre.com/poesia/marulho/

    Recosto transido
    No corpo amado
    Me sinto acolhido
    Tesão saciado
    Apuro o ouvido
    Ouço fascinado
    O som de Cupido
    (Também fui flechado)
    Há outro ruído
    Suave tocado
    O mar escondido
    Que vai bem guardado
    No peito querido
    Eu ouço o bramido
    Sou afortunado


2024 Luiz Cláudio Silveira Duarte https://quartelmestre.com
O conteúdo destas páginas pode ser utilizado conforme os termos da licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.