O beijo

O mais profundo de todos os beijos.

https://quartelmestre.com/poesia/o-beijo/

    com olhos fechados
    os lábios abertos
    ela quer sentir
    o cheiro, o sabor
    a língua me toca
    num leve carinho
    recolhe e volta
    um rápido beijo
    se torna em sorriso
    agora os olhos
    se abrem, brilhando
    (sorrindo também)
    primeiro contemplam
    o novo brinquedo
    mas logo se erguem
    e num desafio
    encontram os meus
    a boca me acolhe
    bem úmida e quente
    eu sinto o aperto
    macio dos lábios
    deixando batom
    e logo voltando
    a língua se move
    explora e preme
    eu não me contenho
    seguro cabelos
    não puxo, mas tomo
    prazer me consome
    os olhos brilhantes
    me chamam, convidam
    e me desafiam
    queria manter
    guardar o prazer
    mas já não consigo
    e eu me deleito
    e eu me desfaço
    e eu me acabo


2024 Luiz Cláudio Silveira Duarte https://quartelmestre.com
O conteúdo destas páginas pode ser utilizado conforme os termos da licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.