Desassossego

https://quartelmestre.com/poesia/desassossego/

    Ando desassossegado
    Com arroubos de amores
    Inquieto com pudores
    Mas sorrio ao lembrar
    De seus olhos ao luar
    Encantado pelo mar
    Fecho os olhos para ver
    Impossível esquecer
    Minhas mãos ao seu redor
    Luz celeste a pratear
    Seus cabelos a luzir
    Ó Selene dos poetas
    Leva a ela o meu amor
    Dela traz o seu fulgor
    Para aqui iluminar
    Minhas noites a sonhar


2024 Luiz Cláudio Silveira Duarte https://quartelmestre.com
O conteúdo destas páginas pode ser utilizado conforme os termos da licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.