Silêncio

https://quartelmestre.com/poesia/silencio/

    Lágrimas que chorou
    toldam seu sorriso,
    emprestam rubor
    São marcas que passam
    Chuva que se vai

    Mas eu... vejo apenas
    Não posso abraçar
    Com beijos sorver
    Molhado salgar
    E assim adoçar
    Quem doce já é


2024 Luiz Cláudio Silveira Duarte https://quartelmestre.com
O conteúdo destas páginas pode ser utilizado conforme os termos da licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.