Vendo a chuva

A chuva que molha a janela se transforma em moldura de sonho.

https://quartelmestre.com/poesia/vendo-a-chuva/

    Passou o calor
    Agora deitados
    Olhando a janela
    Os dedos cruzados
    As lides do amor
    Cederam lugar
    A doce torpor
    Começa a chover
    O vidro molhado
    É nossa moldura
    Criamos um quadro
    Que não se pendura
    É sonho, bem sei
    Mas ele perdura


2024 Luiz Cláudio Silveira Duarte https://quartelmestre.com
O conteúdo destas páginas pode ser utilizado conforme os termos da licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.