Desafiado

Aceito o desafio do deleite.

https://quartelmestre.com/poesia/desafiado/

    me perco em seus olhos
    mas eles enfrentam
    mostram desafio
    (não quer romantismo...
    não nesta hora)
    um brilho maroto
    entrega o sorriso
    e eu, prisioneiro
    de olhar e paixão
    me faço cortês
    com a tentação
    que finjo não ver
    -- a pele macia
    os seios tão lindos
    as curvas esguias...
    mas ela me lê
    e sabe o que vê
    aumenta a aposta
    a perna tão bela
    já sobe à mesa
    os olhos tão doces
    agora flamejam
    e sem dizer nada
    me chama a agir
    mantenho silêncio
    seguro a perna
    enquanto levanto
    a mão vai subindo
    eu chego por trás
    a mão vai abrindo
    a boca, descendo
    seremos expulsos
    mas não me incomodo
    a noite é jovem


2024 Luiz Cláudio Silveira Duarte https://quartelmestre.com
O conteúdo destas páginas pode ser utilizado conforme os termos da licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.