Desatino

Fantasias em uma dança.

https://quartelmestre.com/poesia/desatino/

    a música toca
    meus braços te cingem
    nem mesmo preciso
    guiar, conduzir
    teu corpo conhece
    caminho a seguir
    buscar teu prazer
    teus olhos se fecham
    os lábios já brilham
    em úmida cor
    bem mais que o abraço
    meus olhos envolvem
    a mente penetra
    em vil fantasia
    tão doce, safada
    me perco em vertigem
    teus seios me pedem
    audácia e beijos
    a bunda provoca
    tesão e desejo
    as pernas se cruzam
    em um desafio
    chamando a abrir
    a um desatino
    quando te despir


2024 Luiz Cláudio Silveira Duarte https://quartelmestre.com
O conteúdo destas páginas pode ser utilizado conforme os termos da licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.