Não quero o amanhã

https://quartelmestre.com/poesia/nao-quero-o-amanha/

    são tantas perguntas
    não tenho respostas
    só tenho presságios
    pressinto e sinto
    não quero o amanhã
    mas quero desejo
    que hoje me falta
    me pego e rebelo
    meu mundo não cabe
    em mim já não serve
    cresci sem notar
    então não perguntem
    que faço amanhã
    o agora me ocupa
    me deixa insone
    só quero o abraço
    que acolhe silente
    o beijo que cala
    o grito da mente


2024 Luiz Cláudio Silveira Duarte https://quartelmestre.com
O conteúdo destas páginas pode ser utilizado conforme os termos da licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.