O banho

Aproveitando a oportunidade.

https://quartelmestre.com/poesia/o-banho/

    te vejo no banho
    tão linda, molhada
    os olhos fechados
    a água beijando
    a pele dourada
    as curvas que chamam
    os leves meneios
    de bunda e seios
    e eu não resisto
    (nem quero, confesso)
    meu toque, um sorriso
    já brinca em seu rosto
    abraço, carinho
    um beijo, e mais
    as mãos não afasto
    seguro cuidado
    num passo da dança
    de amor excitado
    meio troglodita
    agarro tarado
    paixão irrestrita


2024 Luiz Cláudio Silveira Duarte https://quartelmestre.com
O conteúdo destas páginas pode ser utilizado conforme os termos da licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.