Olhando o infinito

Inação forçada e dolorosa.

https://quartelmestre.com/poesia/olhando-o-infinito/

    Faltam-me palavras
    Sobram-me temores
    Fantasmas que assombram
    Abraços ausentes
    Silêncios prementes
    Olhares parados
    Mostrando tristeza
    Não posso beijar
    Tampouco agir
    Só posso sentir
    E forte abraçar


2024 Luiz Cláudio Silveira Duarte https://quartelmestre.com
O conteúdo destas páginas pode ser utilizado conforme os termos da licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.